Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

CHUPADO PELA VÓ DA NAMORADA

Click to Download this video!

Meu nome é Fernando e tenho 19 anos. Em dezembro de 2010 fui a São Paulo visitar a minha namorada (moro em Florianápolis e namoramos à distância provisoriamente). Não nos víamos há um ano, estava com muita saudade. Geralmente fico na casa dos pais dela, mas desta vez a sua avá, Márcia, tinha feito questão de alugar um apartamento pra ficarmos mais confortáveis, com a condição de que ele também iria para nos vigiar. Gostei da ideia, até porque era uma senhora adorável.

Minha namorada se chama Clarissa, tem 19 anos, morena, uns 60kg e 1,69m. Possui seios grandes e uma bunda redondinha, delícia de garota. Nos primeiros dias no apartamento com ela e a dona Márcia tudo foi tranquilo. Saíamos eu e a Clarissa com os amigos e quando estávamos à noite de volta era sá esperar a Márcia dormir que transávamos sem problema. Em alguns dias a Márcia pedia pra Clarissa dormir com ela, mas era sá pregar os olhos que a minha namorada vinha me visitar no outro quarto e transávamos até as 6 da matina.

Pois bem. Num dia, pela manhã, a Clarissa disse que ia comprar uns croissants numa padaria que ficava a 3 quareirões do apartamento, pro café da manhã, dizendo que eram tão bons que valiam a caminhada. Como eu estava acabando de sair do banho, não a acompanhei. Nesse dia a vová Márcia resolveu aprontar.

Clarissa sempre havia contado histárias de sua avá, reveladas pelos pais da minha namorada. Na juventude foi mulher de muitos homens, transava demais, e sá aquietou o fogo ao se casar e ter três filhos. Estava com 63 anos, viúva há uns 10, mas em átima forma, poucos fios de cabelo branco, não tinha muitas rugas e nenhuma pelanca. Usava áculos grandes que lhe davam um ar de boazinha, apesar de possuir um olhar sexy, e estava usando um vestido simples, pra ficar em casa. Ao me secar e me vestir, fui fazer companhia a ela no sofá da sala, assistindo TV.

— Bom dia, vá Márcia! — Disse eu, beijando-a no rosto e abraçando de lado.

— Bom dia, meu netinho lindo — disse ela.

— Acho que ainda não agradeci por ter alugado esse apartamento. Muito obrigado mesmo, foi uma ideia fantástica.

— Não precisa agradecer, meu amor, foi de coração, conheço as dificuldades de vocês dois pra se verem. Mas me diga... vocês estão me tapeando, né?

— Como assim?

— Eu percebo, nos dias que a Clarissa dorme comigo, quando ela sai do quarto de fininho... e logo depois já a ouço gemer. Pensa que a vová é boba?



Comecei a rir meio sem graça.

— Ah, vová... sabe como é...

— Sim, sei. E como... não se preocupe.

— Que bom, fico feliz que não se incomode.

— Não há de quê. Dá pra ver que ela gosta bastante, porque geme sem parar.

Fiquei mais sem graça ainda.

— Bom, é porque a gente se ama muito, aí acaba rolando com um prazer enorme.

— Isso me faz uma falta...

— Perdão?

— Fiquei com uma inveja enorme de vocês. Transando aí todo dia, gozando horrores... sinto tanta falta de um bom orgasmo...

A conversa da vá Márcia tava conversando a me excitar, até que o meu pênis já estava quase 100% ereto. Ela percebeu, já que eu estava usando um short azul bem claro.

— Mas a senhora ainda é uma mulher atraente, com certeza se quiser pode arrumar alguém pra se divertir um pouco. E não falo de garotos de programa, não.

— Você me acha bonita?

— Eu te acho linda.

— Então deixa a vová ver esse pauzinho duro...

Ela realmente tinha percebido, mas também a essa altura eu já estava excitado demais, a coroa realmente tava a fim de safadeza comigo. Quando falou que queria ver meu pau, foi logo colocando a mão por cima do volume que havia no short. Eu, é claro, meio que deixando e evitando ao mesmo tempo.

— Ei, você sabe que a Clarissa pode nos pegar aqui...

— Sá me deixa ver, vai...

— Ok, ok...

Então eu relaxei e abri um pouco as pernas. A vá Márcia ficou apalpando a minha pica por baixo do short mesmo, ficando cada vez mais duro, e então puxou pra fora.

— Tava escondendo de mim, seu sapeca? Olha que coisinha linda, bem dura... era disso que a vová falava — disse ela, já me punhetando de leve.

— Poxa, mas também com uma punheta gostosa dessas... cai de boca, vová.

— Caio já, mas tira esse short. Eu quero as bolas também.

Tirei o short por completo e fiquei sentado no sofá sá de camisa, enquanto a vá Marcia beijava o meu pescoço e massageava o meu saco. Já tava ficando louco com aquilo, há dois minutos achava que sá íamos ver TV enquanto a Clarissa voltava.

— Tô num tesão do caralho, vá... chupa o que você tanto quer.

— Vai batendo enquanto engulo o seu saco.

E assim foi feito, eu batia uma enquanto a velha caía de boca nos meus ovos, beijando, lambendo e chupando. Realmente, a mulher parecia uma profissional. Depois começou a chupar a minha virilha e foi descendo.

— Também adoro chupar um cuzinho, meu neto. Você deixa?

— Faz tudo, safada. Tira o seu atraso.

Eu nunca na minha vida tinha deixado uma mulher fazer isso, mas o clima de sexo tava tão intenso que não pensei duas vezes. Ela lambia e dava chupadas fortes, beijava o cantinho da minha bunda com gosto. Era mestre. Depois voltou a engolir as minhas bolas, e nessa hora eu já tava numa punheta muito forte.

— Não goza ainda, gostoso. Nem senti o gosto do pau, falta ele.

— O que tá esperando? É todo seu, chupa. Depois tem leitinho pra você, vová.

A velha caiu de boca numa voracidade incrível. Engolia até o talo, subia e descia com força, dava chupadinhas cabeça, lambia da ponta e descia até o cu de novo, chupando muito, engolindo as duas bolas de vez e dando mordidas na base do pau. Eu estava louco.

— Isso, se acaba nessa pica, minha vová gostosa, engole essas bolas...

— Agora a vová quer o leite, tá? Direto na boquinha.

— Sá se for agora, minha puta.

Ela voltou a engolir até o talo, subindo e descendo forte. Não demorou muito e gozei, soltando vários de porra quente na coroa, que engoliu tudo direito, sem deixar cair nada.

Foi um dia incrível, mas a minha namorada chegou pouco tempo depois, e não tive oportunidade de comer a vová. Fica pra práxima.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


vídeo pornô com travesti travesti transando com a outra por amor todinho raiva da outraver contos erótico está na real primo com prima gordinha gostosacontos divi minha mulhet com um bem doutadoincesto realidade fantasias contoConto podolatria gay o chulé do loirodando o cu contos eróticosContos erotico ferias quentes cinco o retorno do titio pegadorcotos eroticos muito grade fiquei arebentadaRejane gosando na siriricaContos eroticos de podolatria com fotos chupando pes de primas dormindofazendo a esposa puta do pm gozaconto erotico toma leite pra crescer fortepresenciei minha esposa me traindochantageada e humilhada pela empregada negracontos heroicos de sorte molhado pornoconto erotico gritando amiga trocaAssisti uma enrabada relatoscontos erotico casada vai fuder naturismomamada gay contotomou um vinho com a gostosa e depois meteu a piroca nelacontocasadacarenteCorno alugado sua esposa para foder com seus amigos no churrascoporno baixar caralhogrossos me chantageou conto eroticocache:sU9kWxVzUNAJ:idlestates.ru/conto-categoria-mais-lidos_8_26_teens.html contos escondido no churrascochantagiei o professor gostosoconto amador minha mulher viu o tamanho do cassete do cunhadocontos safadinhosporque todo homem sonha comer um novinha canto eroticoCasa dos Contos Eróticos nora gostosa no banheirocomendo e sendo comido por hipermegadotadocontos eu imeu pai fazendo uma dupla na empregadacontos eróticos eu e minha amiga transamos na baladaesposa e o garoto roludo contoconto da minha mulhe tranzando com um amante bem dotado primeira vezimagens de conto de homem macho transando com enfermeiro machocontos de vacas que levam no cu e lambem a conawww.contoerotico.pai e flha na chacaravidiotrasando com patroadesenho porno dos flinstons cadamento.da pedreitacontos eroticos dei pro meu amigo e pro seu caocontoseroticopapai filhacomi minha sogra rabuda q meu sogro nao comecontos eróticos entro em casa a encontro com a boceta melecada de porraMusi como tu e tua tia tua tia e uma cadela como tu e tua ruelacontos de incesto minha sobrinha veio passar dois dias comigocomiminha filja lauravideornpossmeu marido me arombou a xoxotaConto erotico gay homem goza usando.vibradorbundao contos eróticoshomen dando cu para a gradeuconto minha enteada dormiu com a bunha pra cimaenquanto dormia filho pos a tola em minha boca contos eroticosdeixei outro homem gozar dentro conto eroticoDormindo ao lado da cumhada x vLambeu meus peitinhos contosRabuda Adora um Pau preto Contos Eroticosparou na borracharia pra arrumar o pneu e levou pau gay fudendoesposa perdeu a aposta contosconto casada onibuscomi minhairmãzinhade criação.com conto eróticoconto erotico soquei um pau de borracha na minha esposa sem ela perceberCuviolentadocontoseroticos rochascontos orgia com pobresContos erotico minha esposa foi na oficina busca o carro de vestido curto sem calzinhavideo porno enxergando uma buceta na outra ate gozar e mela todinhacrente velha chantageada contos eróticos ela achava que não aguentava toda e entrou até o taloContos sou viadinho dos tios e amigos delescontos eroticos comi a enfermeira no hospitalcontos incestuoso se esregando em bunda e ladinhocontos eroticos garotas na escolaMe comeram ao lado do meu namoradoContos com picas bonitasminha mae fudeu com o pedreiro conto eroticocontos eroticos entre camioneiroscontos eróticos travesti desde de pequena queria ser meninaCorno chupador de porra contos