Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

QUANDO NAIMA ME LEVOU AO CÉU

Click to Download this video!

Sexo no trabalho nunca foi uma opção para mim. Quer dizer, eu não digo no trabalho em si, já que, principalmente no meu caso, seria meio difícil. Sou comandante de vôos comerciais. Pra você entender: dirijo aviões de passageiros. Por mais gostosa que seja a aeromoça e, por mais avançada que seja a aeronave, eu não posso me dar ao luxo de mandar um foda-se para o resto da tripulação e fazer a gatinha conhecer meu manche por 20 minutos. Principalmente porque aquela portinha que separa a cabine do resto do avião não tem uma tranca muito segura. rn Bom, o fato é que, relacionar-se com colegas de trabalho é complicado. A gente está sempre topando pelos ares do país, o clima pode ficar meio tenso se alguém entender alguma mensagem errada. Você vai lá, se diverte, ganha e faz umas boas chupadas, dai a moça se apaixona. Ou você se apaixona. Queda livre.rn Ou então, como já aconteceu com um amigo meu, sua parceira de cavalgada é uma louca e não quer mais largar do seu pau. Por mais doce que ele seja (sim, eu sei, sem falsa modéstia), acho que sou novo pra engatar algo mais sério. Tenho 34 anos e muitos aeroportos para visitar ainda.rn Esse era meu pensamento. Continua sendo, de certa forma. Mas ai aconteceu a Naima. A moça de cabelos vermelhos e olhar fulminante. Chefe de vôo de, coincidentemente, 90% dos vôos que faço atualmente. Yeeeepe!rnrn A primeira vez que a Naima apareceu, eu estava tomando café, no briefing. O vôo saía às 19 horas, do Rio para Curitiba. Ela chegou apressada, meio sem fôlego.rn - Perdão, comandante. O senhor é quem vai nos levar para Curitiba?rnMeu Deus. Num relance, me esforçando para que ela não percebesse, analisei aquele rosto. Perfeito. Cabelos vermelhos, perfeitamente penteados. Bochechas rosadas, olhos azuis penetrantes. Atingiam sua alma. E um corpo espetacular. Pernas vigorosas, apoiando-se em saltos praticamente mágicos. Coxas que desapareciam antes da hora em uma saia de uniforme que nunca me parecera sexy antes. Aquela cintura era feita para as minhas mãos! Aqueles seios perfeitos... como eu adoro chupar melão. Ela percebeu que eu estava olhando. Droga. Desviei o olhar o mais rápido que aqueles seios deixaram. rn - Sim, sou eu, senhorita...rn - Naima. Sem o senhorita, por favor.rnrn Pousamos em Curitiba. 20h30, horário oficial de Brasília. O vôo seguinte seria apenas no outro dia, então teríamos que pernoitar no hotel vizinho ao aeroporto. Aviões chegando e saindo a todo momento... eu não iria conseguir pregar os olhos.rnrn Depois de um bom banho, desci para o saguão do hotel. Sentei no bar, pedi um Whisky. rn - O mesmo pra mim ? uma voz ao meu lado disse. Naima.rn - Você é uma das poucas mulheres que gostam de whisky ? disse a ela.rn - Você é um dos poucos homens que acreditam que eu gosto de whisky ? ela respondeu.rn - Então não entendi.rn - É um gesto de educação. Acompanhar no primeiro drinque. Não espere que eu troque minha caipirinha por uma segunda dose. - respondeu, e me encarou com aqueles faráis acesos. Olhos e mamilos.rn - Se for para você me acompanhar, eu peço a bebida que você quiser. - Respondi. Ela escondeu os olhos bebendo o whisky.rn Ficamos alguns minutos em silêncio, olhando a cara retardada do barman. Ele enxugava copos e assistia alguma coisa na TV. E eu assistia, discretamente, aquelas pernas se cruzando ao meu lado. Naima trocara de saia. Não era mais uniforme. As coxas sumiam um pouco mais acima, para o meu delírio.rn- Nunca achei que ser aeromoça fosse algo solitário assim ? ela quebrou o silêncio.rn- Não precisa ser ? eu arrisquei. Ela estava afetando meu juízo. Eu tinha que parar com aquilo. Ia dar merda.rn- Te encontro amanhã? - Perguntei, evitando ser muito áspero na cortada.rn- Sim, claro.rn- Se precisar de algo, estou no 306 ? idiota. Fraco. Eu tinha que lançar a deixa, né?rnrnAcontece que, lá pela meia-noite, assistindo um filme ruim na TV, escutei alguém bater na porta desesperadamente. rn- Quem?rn- Naima!rnAbri. Nem bem a vi, Naima entrou correndo e escondeu seu rosto em meu peito, com medo. Usava apenas uma toalha. Seus cabelos ainda molhados indicavam que ela havia acabado de sair do banho. Não consegui disfarçar minha ereção quando senti seu corpo pressionado contra o meu. A única roupa que eu usava, uma cueca tipo boxer, foi insuficiente para esconder. Mas ela pareceu não perceber.rn- Me ajuda, tem uma barata no meu quarto!rn- Calma, calma, Naima. Não precisa medo!rn- Eu não quero dormir mais lá. Já é a segunda barata! - Olhou pra cima suplicante, encontrando meus olhos.rn- Acalme-se. Olha, se quiser, pode dormir aqui. Você fica com a minha cama, eu vou para o sofá. - Os olhos dela continuavam me encarando. Sá uma toalha e uma cueca separavam a gente. rnNão segurei. Beijei-a, num desejo incontrolável, que eu tentava controlar para não assustá-la. Ela me abraçou forte, revelando um desejo que eu não sabia que ela possuía. E a toalha caiu.rnO bico de seus seios tocavam meu peito, me deixando louco. Agarrei-a pela cintura, sentindo aqueles seios milagrosos apertados junto a mim. Afundei os dedos em seus cabelos, ao mesmo tempo em que minhas mãos viajavam pelas suas costas frescas, descendo até sua bunda firme. Estávamos quase engolindo um ao outro. O calor exalava, o cheiro de sexo, de nossos corpos se encaixando. rnEntão, ela se desvencilhou de meu beijo e começou a descer a boca pelo meu pescoço. Beijou meu peito, escorregando as mãos por minhas costas. Por Deus, a sensação mais tesuda que existe é a de uma mulher ajoelhada à sua frente, abaixando sua cueca. Aquilo é como libertar um sentenciado à morte da prisão. E apás sentir a liberdade de um pau para fora, senti seus dedos afagando meus testículos, suas unhas encostando em minhas virilhas. Ela então segurou meu membro duro e engoliu com força. Colocou tudo na boca, vagarosamente. Aquilo era o céu, sem avião. Eu não conseguia conter meus quadris, que queriam meter naquela boca, à medida em que ela chupava e colocava novamente na boca. Chupava e colocava novamente. Se deteve por um instante na cabeça apenas. Passou a língua em volta, em movimentos circulares. Chupou devagarzinho apenas a pontinha. Novamente abriu a boca e engoliu. Eu estava ficando louco, segurando para não gozar. Eu queria aproveitar aquilo ao máximo.rnEntão, ela colocou a mão em minha barriga, me pedindo um tempo. Ainda ajoelhada, chupou, tirou da boca, olhou para cima e disse ?Me dá seu leite! Goza na minha boca! Quero engolir tudo! Deixa eu mamar, deixa!?. Eu não ia cair naquela armadilha. Ela sabia que uma das sensações mais loucas que um homem pode sentir é gozar na boca de uma mulher e senti-la engolindo tudo, sem tirar o pau da boca. É o êxtase. Poucas mulheres se dispõe a fazer isso. Mas aquelas que fazem, tem um lugar garantido na área VIP do prazer eterno. E ela sabia disso. Mas eu não ia cair naquele golpe. Não ia gozar agora. Era cedo demais! Queria comê-la a noite inteira! Explorar cada curva, cada centímetro de pele que eu pudesse. De qualquer forma, ouvi-la dizer que queria mamar no meu pau me deixou louco. Segurei-a por aqueles cabelos vermelhos e meti naquela boca com vigor! Devagar, sentindo meu pau deslizando por aqueles lábios quentes maravilhosos. Eu dizia ?Mama! Mama gostoso nesse pau!?. Eu nunca havia sentido aquele tesão louco. ?Quer mamar mais, quer?? E ela respondia, sem parar de chupar meu pau ?Uhum!?. ?Então mama! Chupa tudo!? Inexplicável. rnrnQuando eu estava para explodir em gozo, puxei-a pelos cabelos para cima. Ela queria continuar chupando, e chupou minha boca. Segurei-a firmemente pela cintura e a virei de costas, encostando-a na parede.rn- Deixa eu sentir sua bunda gostosa na minha cintura! - eu disse.rnMeu pau nunca esteve tão grande e duro. Aquela bunda era mágica! Encostei a cabeça do meu membro no alto de sua bunda, bem no meio. E desci devagar. A ponta do meu pau beijou o cuzinho rosado daquela maravilha, fez uma pequena pressão. Continuei descendo, até encaixar em sua boceta. E penetrei. rnA primeira penetrada é como o primeiro gole de uma cerveja. Sempre seguido de um ?Aaaahhhh?. Mulheres, me desculpem, mas vocês nunca saberão como é. Infelizmente, claro! Eu desejo essa sensação para todo ser vivo na Terra! Mulheres, crianças, animais... Todos deveriam sentir a sensação da primeira penetrada. É divino. É angelical. É o céu na Terra.rnrnMeti com força. Segurando-a pela cintura, eu quase podia ver meu pau entrando e saindo, deslizando, dentro daquela vagina deliciosa. Eu conseguia sentir o gosto daquele buraquinho quente com meu pau. E ela continuava chupando-o, mas com a boceta. E era uma chupada deliciosa. Eu sentia meu pau dentro dela e, ao mesmo tempo, observava aquela bunda maravilhosa batendo contra meu umbigo. Queria gozar com todas as minhas forças, mas havia tanto ainda para provar daquele corpo divino. Queria ser onipotente e ver aquele corpo em ação, enquanto eu metia. Naima gemia. E, no ritmo de suas gemidas, meus olhos se deliciaram com seus seios balançando vigorosamente, no ritmo que meu pau impunha. Minhas mãos precisavam pegá-los.rnrn?Rebola no meu pau, rebola!? Eu disse a ela. Imediatamente, ela colocou as mãos na parede e começou a rebolar devagar, com meu membro ainda dentro. Aquilo era maravilhoso. E, sentindo aquela bunda maravilhosa se esfregando contra mim, meu pau saindo e entrando molhado com aquele líquido do prazer. Gozei. E não queria mais parar de gozar. Ela rebolava, gemia, e eu aos poucos, cheguei ao céu.rnrnSexo e trabalho não se misturam. Mas eu disse a Naima que fiquei devendo um sexo oral a ela. Mal espero para, numa práxima vez, abrir aquelas pernas maravilhosas e deslizar minha língua para dentro daquele lugar maravilhoso. rnNa práxima, acho que vou chamá-la para um restaurante japonês. Adoro sashimi de salmão.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


boqueteira gaucha contocontos eroticos comi a mulher do traficantea primeira vez com homem casadopornodoido dona de casa chifra rapidinha cm amigomamilo gigante vazando contoconto erotico chantagieiContos dei o cuzinho para a travesti fabiola voguelcontos eróticos descobriu que a esposa foi estuprada bebadaconto erotico de garoto pelados com primo com pau duro bebadoconto zoofilia fazenda a forca sexoPorn contos erotico corooa quue dizia ser crenteConto erotico minha esposa pagou pra ser fudidacontos erótico ginecoligista e novinhacontos eróticos minha tia min da banhocontos de mulher metendowww.Contos Eroticos de sexo gay incesto pai estrupando filho virgem gay sexo violetos em contos.comconto de comi o cuzinho da minha prima novinha que chorou com a pica grandeconto erotico gay perdendo o cabaco para uma milhercontos eróticos de novinha dando para garanhãodeu sonífero para comela prnodessa vez eu vou gemer bem gostoso, prometocarlão socando ate as bolas no cu da vadiaquando a mulher vai gozo goza tipu una espuma o'que e queria saber se e alguma coisacontoseroticos de menina adolecentetransando com homem maduro e bem dotadoContos eroticos minha mulher e o policialporno contos filha mais resenteXvidio irmã sozinha paiMamando rola na escola contoseroticosSou casada mas bebi porro de outra cara contosvai me arrombarsexo com vizinha muito rabuda vigiadowww.contos de incesto deixei meu tio chupar minha bucetinhacontos eroticos currada a força por pausaoconto erotico peguei as meninas do playgroundContos eroticos casada primeiro boquetecontos velha sogra da cuDeixando a novinha laceadacontos eroticos jovem transando com a negra escrava parte 1contos eróticos dei ele chupar meu seio no meio da pista de uma boatecontos eróticos - coroa esposa de militarconto erótico gorda gótica bundao contos eróticosContos eroticos ela tava menstruadacontos esfreguei minha buceta na minha filhacontos sodomizada por dinheiroContos eroticos seduzindo meu sobrinho com roupas provocantesconto erótico comendo crente viagemsem.kerer.emtrei.no.bamheiro.e.peguei.mimha.tia.peladona.com.a.xoxota.toda.cabeludairmã de fio dental eu passando mal depois transandocontos exitantes comi a mulhersinha domeu patrão na cama delecontos eróticos de brigas e submissão Conto o minha bucetinha sangra muito porque foi cinco cara que mecomeu ate goza dentro demintocando punheta no maracanaMe comeram ao lado do meu namoradotirando as pregas do cu da joycefilme pornô da mulher do Suvaco Cabeludo Vem homem do pau mais grande e g************* delaconto a primeira vez com um casalconto com fui esplorada gostoso n sexocontos eroticos cunhadinhosContos erotico ferias quentes cinco o retorno do titio pegadorminha xana fica babando contoscontos eróticos, gosto de sentir o esperma escorrendo dentro do meu cuContos meu filho pauzudo me comeu dormindocontos casada mimadaconto erotico gay coroa cavalao faz viadinho chorarfui errabada pelo meu avoContos eroticos-Virei pridioneira lesbicazoofilia umcacete enorme pra pequena putacontos lesb esfregar em mimprofessoras de saia jens escrevendo no quadro rabudasO dinha que comi o cu da minhA mae bebAda contos,titiocolocadevagarmegane inesquecivel com duas gatas pornodoidoouvir contos eroticosconto de incesto de pastor estrupadoWww loira casada gosta de negro dotado na casa dos contosmeu marido nao sabe o que sou capazrelato esposa safada na fazendacontos arregacei mibha filhinha e ela gritou muito realisando meu sonho de enrabar minha sogra e minha esposa juntas contos eroticosmulher enrolada na toalha fica excitada e trepa gostosofoda entre maninhos conto heteroContos reais de sodomiarelatos de um negao roludo me desvirginouContos eroticos realizou o desejo da casadinha de ser estupradacachorro do pau grande comendo a mae conto eroticoporno. não. poso pega.minha menina